fbpx

Sandra Costa

Depoimento de
Sandra Costa

Sandra Costa divide com Janete Vaz muito mais do que uma empresa. O Sabin, marca reconhecida internacionalmente pela soma de qualidade e inovação, vai além de um negócio. É uma empresa erguida tijolo por tijolo com muito afeto, companheirismo e trabalho árduo, em uma luta incansável das duas em busca de uma marca que reunisse valores que ambas herdaram de suas famílias: credibilidade, ética, qualidade e cuidado com o ser humano.

Nascida em Inhapim, Minas Gerais, Sandra Costa teve na mãe costureira sua grande inspiração de uma bem-sucedida mulher de negócios, empreendedora que cresceu e passou a dominar o mercado de moda local. O passo seguinte da família foi rumo à Belo Horizonte, cidade onde Sandra se formou em Farmácia e Bioquímica, e onde conheceu o marido, a pessoa responsável pelas idas frequentes do casal à Brasília, o que, naturalmente, culminou no convite para uma mudança definitiva em 1979.

“Quarenta anos atrás, Brasília era uma cidade que realmente estava começando, cheia de oportunidades. Aqui, fui muito bem acolhida. Brasília mudou a minha vida e continua mudando a vida de muitos até hoje”, relembra Sandra, que confere à Brasília o título de cidade cosmopolita, capaz de unir pessoas de diferentes cidades, guiadas por esse horizonte de possibilidades, e de beleza, com um céu que ostenta uma beleza única. “Eu herdei dos meus pais algumas convicções da importância da educação, do valor do conhecimento e eu vi o quanto isso em Brasília era valorizado”, recorda Sandra.

Foi em Brasília que Sandra conheceu Janete Vaz, com quem compartilhava a bancada de um laboratório assim que chegou na capital. Janete estava em busca de alguém que pudesse dividir com ela a sociedade em um novo negócio, enquanto Sandra tinha um emprego de meio período na extinta Fundação Hospitalar e acabara de abrir uma farmácia com os cunhados. Não demorou muito para Sandra cair nos encantos de Janete e a dupla dar o primeiro passo para o nascimento do laboratório de análises clínicas Sabin, em 1984.

Movida por uma enorme curiosidade e principalmente pela paixão em aprender, Sandra buscou nas brechas um nicho de mercado. Ao ver que vários laboratórios não faziam determinados exames, decidiu investir em inovação e apresentar soluções para o mercado. Cuidadosas com as necessidades da classe médica, dos pacientes e dos convênios, não demorou muito para o Sabin conquistar a confiança dos brasilienses. Como o negócio surgiu no início dos anos 1980, quando a informática começava a dar passos tímidos, mas um pouco mais largos, a dupla ficou atenta para as soluções de softwares de atendimento, o que garantiu mais um campo de inovação que possibilitou que o Sabin estivesse à frente da concorrência.

Mais do que só inovação, o Sabin ganhou o mercado pelos valores que combinam responsabilidade socioambiental, pesquisas técnico-científicas, ética, qualidade, credibilidade, confiança, respeito à vida e simplicidade. “O Sabin é uma alma coletiva de propósitos, filosofia e valores. Não é só o olho no microscópio, mas é o olho no olho do paciente, no olho das pessoas. É um atendimento humanizado em todos os sentidos”, pondera Sandra, que se recorda com carinho da primeira unidade no Edifício das Clínicas e atualmente contabiliza 106 filiais em Brasília e 280 no Brasil, com uma média de 17 mil pessoas atendidas por dia.

Na empresa formada por uma rede de colaboradores com um quadro 77% feminino, há um cuidado enorme com o bem-estar da equipe. “O nosso legado, meu e da Janete – e está no nosso DNA – é que desde o início entendemos que a mulher pode buscar o seu sonho, seja na maternidade, na carreira, e tudo pode estar atrelado. Somos a única empresa que celebra gravidez. A mulher aqui pode realmente pensar no seu futuro, nos seus desafios, sendo mãe, tendo seus filhos, indo para a reunião da escola, e não é por isso que você vai deixar de ser uma executiva, vai deixar de ser uma líder”, enfatiza Sandra, ao reforçar que no quadro do Sabin 74% dos cargos de liderança são ocupados por mulheres.

As políticas de valorização do funcionário não param por aí. No Sabin há um formato de gestão compartilhada, na qual o supervisor ou o líder de cada unidade é tratado como dono por fazer parte da construção do planejamento estratégico. “Temos observado em pesquisas que muitas vezes o salário não está em primeiro lugar. As pessoas querem uma oportunidade de crescimento, para colocar suas ideias em prática, querem flexibilidade para fazer um mestrado, um doutorado, para empreender na sua carreira. Temos tudo isso aqui”, comemora.

Considerada uma visionária, pioneira como muitos brasileiros que somaram suas forças para a construção de Brasília, Sandra se sente orgulhosa pelo protagonismo que ocupa na consolidação da história econômica e social do Distrito Federal. “Brasília hoje tornou-se um polo de saúde, um hub que consegue unir o Norte ao Nordeste. Quando relembramos nossa história, ficamos muito felizes em ver tudo que construímos. Ver que crescemos sem perder nossa essência”, avalia Sandra, que se orgulha de ser mineira, terra de Juscelino Kubitschek, a quem elenca uma série de qualidades que foram imprescindíveis para a história de Brasília e do Brasil. “Ele era um estadista, um visionário, um líder que realmente estava além do seu tempo”, aponta Sandra, que acredita ainda que o maior triunfo do ex-presidente foi mobilizar uma geração para acompanhá-lo na implementação do projeto de Brasília.

“Era além de Brasília, eu vejo que ele queria mais um projeto de país mesmo. Ele queria um Brasil moderno, industrializado, com uma cultura grandiosa, relevante”, observa, admirada, a empresária que, nos passos de Juscelino e tantos outros visionários, hoje exibe uma empresa com unidades em 50 cidades do Brasil, 11 estados, sendo 12 no Distrito Federal, e 5.500 colaboradores.